O dito da vez


Cquote1.svg

A explosiva descoberta
Ainda me atordoa.
Estou cego e vejo.
Arranco os olhos e vejo

Cquote2.svg
Carlos Drummond de Andrad

31 de ago de 2009

Sec. XXI


[Turquia] Convite: Aguardamos ver você na fogueira da resistência!

Porta vozes e burocratas de corporações multinacionais capitalistas estarão em Istambul, Turquia, nos dias 6 e 7 de outubro para o Encontro Anual dos “Chefões” de governos, do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI), onde eles vão tomar decisões que podem afetar e destruir vidas de bilhões de pessoas.

Sem dúvida, isso será mais uma reunião para defender as regalias e benefícios dos governantes capitalistas, eles discutirão pacotes econômicos, políticas de austeridade e protecionistas, assim como acordos constitucionais onde somente adicionarão mais um elo dentro da cadeia de exploração para o futuro dos pobres e do planeta em que vivemos.

Experimentos de primeira viagem na Argentina, Jamaica, Nigéria, Quênia e qualquer outro lugar provaram há muito tempo que as políticas do Banco Mundial e do FMI não trouxeram nenhum beneficio além da otimização da exploração. O FMI e o Banco Mundial, cabeças da arquitetura capitalista global, são instrumentos primordiais na exclusão dos pobres de suas origens e lares, centralizando toda economia nas grandes metrópoles, comercializando e monopolizando, e até mesmo privatizando os recursos naturais, como água, petróleo e minérios a algumas corporações internacionais. Tais políticas também prejudicam a agricultura local com as políticas de agricultura neoliberal, de monocultura industrial, subdividindo e conseqüentemente desunindo as classes de trabalhadores com a criação de novas leis trabalhistas.

13.000 agentes do governo e possivelmente mais patrulhas policiais estão destacadas para protegê-los, estarão andando entre nós durante os dias do encontro. Esses dias provavelmente serão um inferno. Buscas policiais, controles de identidade, bloqueio nas ruas, cerceamentos e por aí vai.

Vamos mostrar a eles o que realmente é um inferno. Nosso fogo será o terror deles!

Convocamos todos para uma semana de protestos, resistência global e ações contra o FMI e o Banco Mundial entre os dias 1 e 8 de outubro. Em Istambul estamos planejando organizar oficinas, exibição de filmes, palestras e atividades contra o FMI e o Banco Mundial. Teremos acomodações para aqueles que vêm de outras cidades e de outros países. Se você quer participar das preparações e do processo de mobilização, por favor, entre em contato conosco pelo endereço: direnistanbul@gmail.com.

Para receber informações regulares e atualizações sobre as preparações visitem o nosso sítio eletrônico:

http://resistanbul.wordpress.com/ (Inglês)

http://direnistanbul.wordpress.com/ (Turco)

Nos dias de Resistência, nós todos esperamos aumentar a solidariedade internacional, esperamos a cooperação de pessoas de outros países!

Autonomia do povo contra o capitalismo global!

Acrescente sua voz no grito contra o capitalismo nacional e internacional!

Tradução > Marcelo Yokoi




agência de notícias anarquistas-ana


galho partido

depois da tempestade

caminho de formigas

Alexandre Brito

Um comentário:

Jean Baptiste disse...

É isso aí, contra-informação na veia para romper o bloqueio da mídia canalha.

bj

Postar um comentário

dizeres

JUSTIÇA

JUSTIÇA

Agora uma fabulazinha

Me falaram sobre uma floresta distante onde uma história triste aconteceu no tempo em que os pássaros falavam, os urubus bichos altivos mas sem dotes para o canto resolveram mesmo contra a natureza que havia de se tornar grandes cantores.
Abriram escolas e importaram professores, aprenderam


mi

sol

si
Encomendaram diplomas e combinaram provas entre si para escolher quais deles passariam a mandar nos demais a partir daí criaram concursos, inventaram títulos pomposos, cada urubuzinho aprendiz sonhava um dia se tornar um ilustre urubu titular afim de ser chamado por vossa excelência.
Passaram-se décadas arte que a patética harmonia dos urubus maestros foi abalada com a invasão da floresta por canários tagarelas, que faziam coro com periquitos festivos e serenatas com sabiás. Os velhos urubus encrespados entortaram o bico e convocaram canários e periquitos para um rigoroso inquérito:
cade os documentos de seus concursos?
Indagaram, e os pobres passarinhos se olharam assustados... Nunca haviam freqüentado escola de canto pois o canto nascera com eles.
Seu canto era tão natural que nunca se preocuparam em provar que sabiam cantar naturalmente cantavam
Não, não, não assim não pode, cantar sem os documentos devidos é um desrespeito a ordem, bradaram os urubus.
E em um nisoro expulsaram da floresta os inofensivos passarinhos que ousavam cantar sem alvarás...

Moral da história: em terra de urubus diplomados não se ouve os cantos dos sabiás